Orçamento

Se você não encontrou o destino desejado na nossa lista de pacotes, preencha o formulário abaixo, informando para onde deseja viajar e em qual data, que lhe enviaremos uma proposta.

Entraremos em contato em breve.
Aguarde

Blog da Original Way

Belas Artes: Luxo e opulência no México

abril 10, 2016 9:50 pm

Um telão de cristal de Tiffany, murais de Rivera e Siqueiros, e alusões a deuses pré-hispânicos, são cenário do talento artístico nacional e mundial neste recinto. A poucos metros do Zócalo, um dos monumentos que orgulham os mexicanos e que testemunhou de perto os acontecimentos históricos deste país: O Palácio de Bellas Artes!

O Palácio de Belas Artes Mexicano foi confiado pelo presidente Porfirio Díaz para substituir o velho Teatro Nacional, o arquiteto italiano Adamo Boari começou o projeto em 1904. O plano original era finalizar a tempo a construção para comemorar o Centenário da Independência em 1910. No entanto, os trabalhos foram cancelados, em primeiro lugar por causa de problemas arquitetônicos, e depois por causa do estouro da Revolução Mexicana. No final do enfrentamento, o arquiteto mexicano Francisco Mariscal continuou com o projeto que foi inaugurado em 1934.

O Palácio é sede do Balé Folclórico do México, que oferece funções nas quartas-feiras e nos domingos. As máximas expressões da dança, pintura, escultura, música e literatura acontecem neste, o recinto mais importante das artes mexicanas. Obras dos famosos muralistas Diego Rivera, José Clemente Orozco, David Alfaro Siqueiros e Rufino Tamayo, são exibidas nas paredes do lugar. Aqui também se acha o Museu Nacional de Arquitetura. Sem importar, se no final de um soberbo concerto ou de uma visita ao meio-dia, o restaurante do Palácio é um magnífico marco para sentir que faz parte do luxo de meados do século XX.

Sentados nas renovadas e confortáveis poltronas da sala principal, a primeira coisa que chamará sua atenção é o magnífico telão de cristal realizado pela casa Tiffany, de Nova York. Nele são plasmados os vulcões Iztaccíhuatl e Popocatépetl, com um toque de estilo dos paisagistas mexicanos José María Velasco e Gerardo Murillo, melhor conhecido como Dr. Atl. Ao entardecer, uma excelente opção é subir até o andar 44 da Torre Latino-americana, que, no momento da sua inauguração (1957) era o edifício mais alto da América Latina. Não existe melhor ponto para fotografar que o Palácio de Bellas Artes, além de contemplar um belo entardecer acompanhado por um bom vinho ou um jantar.

Conteúdo de: http://www.visitmexico.com/